Saiba mais sobre a dor no ombro

A dor no ombro é bastante habitual e figura entre as queixas mais frequentes nos consultórios médicos – atrás apenas das dores na lombar e nos joelhos. Ela é mais comum em pessoas que utilizam a articulação em excesso – como praticantes de esportes como tênis e natação, ou tarefas de trabalho que também utilizam em excesso tal articulação, como professores e dentistas. Além desses, também é comum em idosos, por conta do desgaste natural da articulação.

Segundo os médicos, as causas da dor no ombro se dividem em duas categorias principais: as traumáticas, que estão relacionadas a quedas, choques e movimentos bruscos e excessivos, e as não traumáticas, originadas pelo envelhecimento inevitável do corpo e, consequentemente, das articulações e dos tendões.

Ela também pode ser causada por:

– Artrite: apesar de ser mais frequente em idosos, também pode afetar jovens.

Além da dor no ombro, a pessoa pode notar uma dificuldade para movimentar o braço, por conta do inchaço da articulação. É importante lembrar que os sintomas podem se intensificar com o passar do tempo.

O tratamento mais indicado deve ser conduzido por um ortopedista, com ajuda de remédios anti-inflamatórios para o alívio dos incômodos. A fisioterapia auxilia no fortalecimento da articulação, reduzindo a chance de reincidência e promovendo a melhora nos movimentos do ombro.

– Bursite: é provocada pela inflamação da bursa, estrutura que protege os tendões e os músculos dos ossos do ombro durante o movimento, e tem a aparência de uma almofada.

Costuma surgir em pessoas que exercem atividades repetitivas com os braços, ou movimentos feitos de forma inadequada.

A dor aguda na parte superior ou frontal do ombro costuma piorar ao realizar qualquer movimento da articulação, como pentear o cabelo.

Na maior parte das vezes trata-se de um sintoma relacionado a outra patologia, que deve ser investigada pelo médico através de avaliações e exames.

– Tendinite: é uma patologia que se caracteriza pela inflamação dos tendões do ombro, e as dores na maioria das vezes são na parte frontal da região dos ombros. Geralmente, é acompanhada pelo surgimento da própria bursite.

O tratamento mais indicado após consulta ao médico é a fisioterapia e compressas geladas para alívio da dor.

– Fraturas: são mais comuns na clavícula ou no úmero – devido a quedas ou acidentes.

Podem desencadear inchaços, manchas roxas na pele, bem como o impedimento do movimento do braço.

Para tratá-las, deve-se procurar um hospital para identificar o local da fratura, corrigir o osso e imobilizar o braço da forma adequada, a fim de auxiliar a cicatrização.

– Capsulite adesiva: também conhecida como ombro congelado, é uma inflamação crônica do ombro que dificulta a movimentação da articulação. É mais comum em mulheres com mais de 40 anos e pessoas que já tiveram o braço imobilizado por mais de 2 meses.

A fisioterapia, para relaxar os músculos e mobilizar o local, é o tratamento mais recomendado. Porém, em casos mais graves, pode ser necessária a realização de uma cirurgia para reparar lesões.

 

Como é feito o diagnóstico da dor no ombro?

Por meio de um exame clínico detalhado, que avalia todas as estruturas associadas ao ombro, especificidades da dor – intensidade, região, frequência e outros detalhes –, se há limitação do movimento da articulação etc. Além disso, o paciente deve informar ao médico seus hábitos de vida, principalmente se há a ocorrência de deslocamentos repetitivos dos braços.

O exame físico costuma ser acompanhado por outros métodos complementares, como os exames de imagem – raio-x, ultrassonografia, tomografia computadorizada ou ressonância magnética –, que ajudam a encontrar detalhes mais precisos sobre a dor, como a causa e a extensão da lesão.

 

Como prevenir as dores no ombro?

  • Evite prorrogar a visita ao médico
  • Adote uma alimentação balanceada. Muitos alimentos naturais possuem propriedades anti-inflamatórias
  • Mantenha uma postura adequada nas tarefas do dia a dia, como usar o computador, o celular, dirigir etc.
  • Siga sempre as orientações de um especialista e nunca se automedique
  • Pratique exercícios físicos regulares para um bom fortalecimento das estruturas musculares e assim evitar possíveis lesões

 

Como é feito o tratamento?

Além dos métodos de prevenção e alívios das dores – como as compressas geladas, analgésicos e remédios anti-inflamatórios, fisioterapia e repouso – outra opção é a correção cirúrgica, mas apenas para casos mais severos, como rupturas de tendão, deslocamentos do ombro ou fraturas.

 

Na Homeostase, nossos professores qualificados avaliam minuciosamente suas necessidades e buscam a causa real da dor, a fim de preparar um treinamento específico para tratar sua lesão respeitando suas limitações, além de acompanharem de perto a progressão de cada um dos alunos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *