O que é diabetes?

Diabetes é uma doença crônica que ocorre quando o corpo é incapaz de produzir insulina ou não consegue empregar adequadamente a insulina que produz, causando um aumento da glicose (açúcar) no sangue. É importante ressaltar que não há cura para ela, mas é possível continuar vivendo com saúde, mantendo hábitos adequados e seguindo as orientações dos médicos.

 

E o que é a insulina?

É um hormônio produzido pelo pâncreas, responsável pela entrada na glicose sanguínea nas células do corpo para ser utilizada em forma de energia. Assim, uma pessoa com diabetes acaba ficando com um nível mais alto de glicose no sangue, provocando a hiperglicemia.

 

Quais os tipos de diabetes?

– Diabetes Tipo 1: quando o sistema imunológico ataca, por engano, as células beta – responsáveis por sintetizar e secretar a insulina –, a pessoa passa a produzir uma quantidade menor desse hormônio ou simplesmente não produzi-lo, portanto a glicose fica no sangue em vez de ser usada como energia.

Acomete entre 5 e 10% do total de pessoas com a doença.

Geralmente, surge durante a infância ou adolescência, mas também pode ser diagnosticada em adultos, e seu tratamento fica por conta da insulina, medicamentos, alimentação adequada e atividades físicas.

– Diabetes Tipo 2: nesse caso, o organismo não consegue utilizar a insulina produzida. Isso acontece devido a uma falha do receptor de insulina, onde ele passa a não reconhecer mais o hormônio adequadamente, dificultando sua entrada na célula e com o passar do tempo a produção também pode ficar diminuída.

É o tipo mais comum e atinge cerca de 90% das pessoas com diabetes.

O Tipo 2, por sua vez, se manifesta com mais frequência entre adultos, mas pode aparecer em crianças, e pode ser controlado com atividades físicas regulares, um bom planejamento alimentar e medicamentos para controle da taxa de glicemia.

– Pré-diabetes: ocorre quando os níveis de glicose no sangue estão elevados, acima do normal, mas não ao ponto de indicar um caso de diabetes tipo 2.

É fundamental destacar que 50% dos pacientes que se encontram nesse estágio desenvolvem, de fato, a doença. O que é bastante lamentável, pois nesta fase é o momento onde é possível reverter a doença através de um estilo de vida totalmente saudável, com prática de exercícios de forma regular e uma alimentação adequada com baixo índice glicêmico.

Muitas vezes esse sinal de alerta não recebe a devida atenção, pois mesmo se tratando de uma etapa reversível, muitos pacientes não enxergam essa oportunidade e deixam para tomar providências somente quando o problema já está mais grave.

Como a pré-diabetes é uma situação clínica que precede o diagnóstico da diabetes tipo 2, geralmente não está acompanhada de sintomas e, por isso, é mais difícil de se diagnosticar. Porém, alguns fatores como ganho de peso, sedentarismo e casos de diabetes na família indicam a necessidade de uma avaliação médica minuciosa.

 

– Diabetes Gestacional: durante a gravidez, os hormônios da placenta reduzem a ação da insulina, mas o pâncreas responde aumentando sua produção para compensar o quadro. Contudo, em algumas mulheres, essa reação não ocorre, provocando – além da diabetes – complicações no desenvolvimento do bebê.

Como costuma ser assintomática, é indispensável o acompanhamento médico para analisar como está a glicose em jejum, além de atenção a alguns fatores de risco:

  • Idade materna mais avançada
  • Hipertensão arterial na gravidez
  • Sedentarismo
  • Hábitos alimentares ruins
  • Ganho de peso excessivo durante a gestação

 

Sintomas gerais

Cada um dos tipos da doença tem seus sintomas característicos, que tornam mais fácil identificá-los entre si. Entretanto a produção insuficiente ou ausência total da insulina e, consequentemente, o aumento da glicose no sangue, provocam fenômenos em comum para todas as categorias de diabetes. Conheça alguns deles:

  • Alterações visuais
  • Impotência sexual
  • Aumento do apetite
  • Polidipsia (sede excessiva)
  • Distúrbios cardíacos e renais
  • Feridas que demoram a cicatrizar
  • Poliúria (vontade frequente de urinar)
  • Formigamento ou diminuição de sensibilidade nos pés

 

É importante destacar que a diabetes no inicio é assintomática, ou seja, quando os sintomas começam a aparecer a doença já está em um estágio mais avançados, daí a importância de cuidar da saúde constantemente, visitando seu médico, realizando exames e mantendo hábitos saudáveis.

 

Fatores de risco

Atualmente, no Brasil, há mais de 13 milhões de pessoas com diabetes, cerca de 6% da população. Como a tendência é que esse número continue crescendo e o diagnóstico da doença pode ser demorado, é importante se atentar aos fatores de risco para saber se você se enquadra neles e ficar ainda mais alerta com a sua saúde:

  • Obesidade
  • Hipertensão
  • Sedentarismo
  • Má alimentação
  • Apneia de sono
  • Hereditariedade
  • Estresse emocional
  • Tabagismo
  • Alcoolismo
  • Níveis altos de colesterol e triglicérides
  • Consumo de medicamentos da classe dos glicocorticoides
  • Distúrbios psiquiátricos (esquizofrenia, depressão, transtorno bipolar)

 

Tratamento

O objetivo dos tratamentos de diabetes é controlar a glicose presente no sangue do paciente, evitando picos ou quedas ao longo do dia. Confira os métodos mais adequados para cada tipo da doença:

– Diabetes Tipo 1: exige o uso de insulina por via injetável, que pode ser auxiliado por um monitor de glicemia ou bombas de insulina.

– Diabetes Tipo 2: não depende necessariamente da aplicação de insulina, mas, em alguns casos mais sérios, o controle glicêmico só é obtido com as injeções do hormônio. Geralmente, medicamentos ministrados por via oral são o suficiente para controlá-la.

Em ambos os casos, a alimentação balanceada e específica feita por um nutricionista é indispensável, bem como a prática de exercícios físicos regulares, de modo a auxiliar na diminuição da glicose sanguínea.

O time de profissionais especialistas da Homeostase está preparado para atender o paciente com diabetes através de uma avaliação do estágio da doença e em seguida elaboração de um treinamento com foco na sua saúde e respeitando suas limitações.  Além disso, o ambiente confortável e sem superlotação favorece a busca pelos seus objetivos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *